Portal dos Bebês

Fonoaudiologia

Odontologia

FOB
Imprimir AumentarDiminuir

altere o tamanho do texto:

Quais as principais características dos aparelhos híbridos e digitais?

Existem algumas características comuns aos aparelhos híbridos e digitais, embora o nível de complexidade das mesmas possa variar. Algumas delas estão descritas aqui. 
 
Programabilidade

Todos os aparelhos analógicos são ajustados por meio da movimentação de minúsculos potenciômetros (trimmers) com o uso de uma pequena chave de fenda. Isto torna mais difícil a realização de ajustes precisos nestes aparelhos.























Os aparelhos híbridos e alguns aparelhos digitais podem ser ajustados por meio de conexão temporária com uma unidade programadora externa. Esta unidade programadora pode ser um programador portátil ou um computador conectado a uma interface. Esta característica é denominada “programabilidade”.















A programabilidade possibilita maior precisão no ajuste do aparelho e geralmente também permite que um maior número de controles fique disponível para o fonoaudiólogo.


Importante: Nem todos os aparelhos digitais são programados via computador. Alguns modelos de aparelhos digitais também são regulados pela movimentação de potenciômetros tal como acontece nos aparelhos analógicos.  


Múltiplas memórias

Alguns aparelhos digitais possuem sistemas que realizam a mudança automática de um programa para o outro, sem que a criança precise apertar nenhum botão.

Os óculos bifocais permitem que a pessoa enxergue de perto e de longe, simplesmente variando a inclinação da cabeça. Funcionam como se fossem dois óculos em um só. A criança usuária do aparelho pode ter necessidades auditivas distintas de acordo com o ambiente em que está. Por exemplo, ela pode preferir um tipo de amplicação para conversar em um lugar silencioso e outro tipo de amplificação para ouvir música ou então quando está na rua.

Alguns aparelhos híbridos e digitais podem oferecer a capacidade de armazenar mais do que um conjunto de ajustes na memória do aparelho. O objetivo da múltipla memória é tentar fornecer à criança o melhor ajuste para um determinado ambiente acústico. Por exemplo, o fonoaudiólogo pode fazer um ajuste do aparelho para que a criança o utilize em lugares silenciosos e outro ajuste para que ela utilize quando estiver em um ambiente que tem muito aparelho.






A criança tem acesso a estes diferentes ajustes por meio do toque de um botão ou por meio da mudança de posição de uma chave comutadora ou, ainda, por meio de um controle remoto.







Sistemas multi-bandas e multi-canais

O aparelho auditivo deve amplificar o som de modo a torná-los audíveis para a criança, porém esta amplificação não pode ser tão forte a ponto de tornar os sons desconfortáveis. Desta forma o fonoaudiólogo necessita regular o aparelho de modo fornecer a quantidade necessária de amplificação para sons de diferentes frequências e intensidades.
Os aparelhos analógicos geralmente possuem, no máximo, dois controles: um para controlar a amplificação dos sons graves e outro para controlar a amplificação dos sons agudos. Os sistemas multicanais dividem o som em diferentes bandas de freqüência, da maneira como ocorre com um equalizador de um aparelho de som. Isto permite a amplificação independente destas bandas de freqüência de modo a melhor corresponder às necessidades da criança. Alguns aparelhos híbridos e, sobretudo, os digitais apresentam estes sistemas multi-bandas e multi-canais.

F.A.Q.
Desenvolvido por Lecom S.A.