Portal dos Bebês

Fonoaudiologia

Odontologia

FOB
Imprimir AumentarDiminuir

altere o tamanho do texto:

Como estimular a linguagem de 6 a 12 meses

Aos 7 meses, as crianças reconhecem reconhecem pessoas da família e mostram-se incomodados quando estranhos os pegam no colo. Com 8 meses, são capazes de reconhecerem seus nomes e o balbucio pode apresentar diferentes entonações. Por volta dos 11 meses, começam a repetir palavras de forma parecida ao que é correto, manifestam desejos e respondem a ordens simples, como mandar um beijo1,2.

Estimulação da linguagem:

- Durante as refeições, as crianças podem pegar uma bolacha ou biscoito para tentar comer sozinhos, o que é importante ser estimulado para que tal habilidade se desenvolva3.

- Quando a criança emitir o som similar à silaba de alguma palavra, demonstrar alegria neste momento e em seguida falar a palavra correta2.

- Nas atividades de banho e troca, a família pode nomear as partes do corpo da criança e a partir disso, criar ordens simples, como “dá o pé”, ou “vamos lavar as mãos”4.

- Quando estiver passeando com a criança, estimule-a a prestar atenção aos sons do ambiente, como barulho de carro ou o canto dos pássaros5.

- Apresentar à criança brinquedos com sons diversos para que haja exploração do objeto por um todo5.

- A criança pode ser estimulada a imitar sons e gestos, porém estes devem ser apresentados de forma isolada, ou seja, um de cada vez. É importante demonstrar aprovação quando a criança conseguir imitar5.

- Para estimular a criança a ficar em pé, poderá segurá-la pelas axilas, levantando-a e deixando seus pés apoiados ao chão5.

- Com o auxílio de livros infantis, poderá falar frases que estimulem a criança a buscar o que foi solicitado, como no caso de “cadê o au au”5.

- A intencionalidade das crianças poderá ser estimulada a partir da cobertura de um brinquedo de seu interesse, levando-a a procurar onde este se encontra5.

- É importante evitar utilizar com a criança palavras no diminutivo ou pronunciado de forma isolada (ex. BA-TA-TA), uma vez que isso dificulta a compreensão6.

 

 

Referências:

1. SIMMS, M.D. Language Disorders in Children:Classification and Clinical Syndromes. Pediatric Clin N Am, Philadelphia, v. 54, p. 437–467, jun, 2007.

2. ZORZI, J.L.; HAGE, S.R.V. Desenvolvimento normal da linguagem e de aspectos cognitivos ligados ao simbolismo. In Zorzi JL, Hage SRV. Protocolo de avaliação comportamental – avaliação de linguagem e aspectos congnitivos infantis. São José dos Campos: Pulso Editorial. 2004, p. 51-72.

3. Estimulação precoce: inteligência emocional e cognitiva. A Linguagem. São Paulo: Grupo Cultural, [2008?], cap 10, p. 85-93.

4. Prado LM, Desenvolvimento e avaliação de material multimídia para orientação de pais e cuidadores de crianças com Síndrome de Down. [Dissertação] Bauru: Faculdade de Odontologia de Bauru, Universidade de São Paulo; 2011

5. BIZZOTO, M.O. (Org). Programa de Intervenção precoce: 0 à 24 meses: Florianópolis: Fundação Catarinense de Educação Especial, 1979.

6. PROJETO DOWN. Síndrome de Down: Estimulação e desenvolvimento da fala e linguagem. São Paulo, 1994. Disponível em: <http://www.projetodown.org.br/cartilha06.doc>

F.A.Q.
Desenvolvido por Lecom S.A.