Portal dos Bebês

Fonoaudiologia

Odontologia

FOB
Imprimir AumentarDiminuir

altere o tamanho do texto:

Conseqüências da Deficiência Auditiva no Desenvolvimento

A deficiência auditiva poderá interferir no desenvolvimento da linguagem e fala da criança, interferindo no processo de aprendizagem.
Se o bebê tiver uma deficiência auditiva, as informações da fala não irão ser processadas de maneira adequada. Desta forma, torna-se mais difícil para essa criança estabelecer as relações entre a palavra falada e o objeto ou a ação representada por ela. Isto pode ocasionar alterações significativas na fala e linguagem.
Lembramos, porém, que as conseqüências que determinado tipo e grau de deficiência auditiva acarretam ao desenvolvimento da criança dependem, em primeiro lugar, da própria criança. Cada uma tem seu próprio ritmo de desenvolvimento e habilidades, independentes da deficiência auditiva. Se pensarmos em uma sala de aula, onde todas as crianças possuem praticamente a mesma idade, podemos observar que algumas têm mais facilidade para aprender matemática ou português, enquanto outras têm mais facilidade para ciências ou geografia.
De igual modo, podemos ter crianças deficientes auditivas com o mesmo tipo e grau de perda auditiva, que se comportam de maneira diferente, devido às suas características individuais. Cabe a nós estarmos atentos a essas características.


De maneira geral, e para fins didáticos, as alterações esperadas, de acordo com a severidade da deficiência auditiva podem ser descritas da seguinte forma:


Deficiência Leve

Uma deficiência leve, desde que não progrida, geralmente não tem efeito significativo no desenvolvimento. Dificilmente será necessária a colocação de um aparelho auditivo na criança.

Deficiência Moderada

Uma perda moderada pode afetar e atrasar o desenvolvimento de fala e linguagem, mas não impede que a criança fale. Se houver intervenção e o aparelho auditivo for utilizado juntamente com um processo terapêutico, a criança irá se desenvolver quase que normalmente.

Deficiência Severa

Uma perda severa pode impedir o desenvolvimento de fala e linguagem. Contudo, se for feito o uso do aparelho auditivo, realizada uma boa intervenção terapêutica e houver um esforço contínuo, a criança poderá receber informações utilizando a audição para o desenvolvimento da fala, linguagem e aprendizado.

Deficiência Profunda

Se não houver intervenção, a fala e a linguagem dificilmente irão se desenvolver. Se houver uso do aparelho auditivo e intervenção terapêutica intensa, a fala e a linguagem podem ser desenvolvidas, embora de maneira lenta e com dificuldade. Essas crianças freqüentemente irão se valer da leitura orofacial (leitura labial). Poderão se beneficiar com implante coclear e, dependendo da criança e da estimulação que receberá, poderá desenvolver uma linguagem normal, ou próxima disso. Em outros casos, terão necessidade de adquirir a linguagem de sinais. A contribuição da audição como meio para o desenvolvimento de fala e linguagem irá variar muito entre as crianças deficientes auditivas profundas.

F.A.Q.
Desenvolvido por Lecom S.A.